Uma atitude que faz toda a diferença
Para conseguir escolher bem sua profissão, é preciso muita pesquisa e reflexão. E as outras ações da sua vida, também necessitam de tanta consideração?

  • 27/10/2016 00:24:51


  • Depois de dias acompanhando e torcendo pelo Brasil na Copa do Mundo, chegou a hora de pensarmos com responsabilidade. As Eleições estão chegando e milhares de pessoas irão escolher seus representantes, como deputados federal e estadual, senador, governador e presidente.

    Para muitos jovens, entre 16 e 18 anos, o voto é o primeiro passo dentro de um plano de escolha de representantes políticos e, assim como a escolha de uma profissão, deve ser um momento de reflexão sobre todas as possibilidades. É preciso fazer uma escolha consciente e madura. Apesar do voto ser facultativo nesta idade, ou seja, não ser obrigatório, é muito importante compreender sobre a dinâmica de um país. Para isso, é bom buscar informações sobre a política, economia e os aspectos sócio-culturais do Brasil.

    Como já expliquei no texto “A escolha de uma Profissão”, fazer uma boa escolha requer munição de informações sobre as possibilidades que você possui. Por exemplo: quando há dúvida sobre duas carreiras, certamente o diferencial será a pesquisa da realidade de cada uma, correto? Isto é, procurar conhecer onde e com o que você poderá trabalhar. Ou seja, buscar informações sobre remuneração, mercado de trabalho, segmento, entre outros.

    No caso da escolha de um candidato político, é fundamental conhecer suas histórias de vida e profissional, bem como propostas e soluções para possíveis problemas do país, sejam eles de ordem social, política, educacional, profissional, e assim por diante.

    Toda escolha gera angústia, e certamente para os jovens é delicado pensar que poderão fazer parte de uma decisão tão importante como a escolha dos representantes que irão conduzir o nosso país. No entanto, é legal pensar que o ato de ser cidadão vai muito além do voto, e faz parte do dia a dia, como ajudar alguém a atravessar uma rua, auxiliar um amigo na busca de um emprego, ensinar uma criança a aprender coisas novas e muito mais. O resultado positivo dessas ações, colheremos no futuro.

    Praticar a cidadania no cotidiano é uma forma de despertar a responsabilidade para o voto consciente, como também cristalizar princípios importantes para o bom andamento de uma sociedade. Ao praticar o respeito ao próximo, construímos internamente a noção de educação e cidadania. Então, em 5 de outubro, vote consciente, exerça seu papel com responsabilidade e vote pelo Brasil.

    Texto de Maria Carolina Bittencourt Socreppa, psicóloga.