Se eu quero, eu posso!
Existem profissões que são somente femininas ou masculinas? Como lidar com essa diferenciação de gêneros?

  • 27/10/2016 00:24:51


  • Sabemos que as desigualdades entre homens e mulheres, sobretudo na contemporaneidade, tem se apresentado em diversos âmbitos da vida, e nós, enquanto estudantes e futuros profissionais, também estamos sujeitos a esta influência.

    Hoje em dia, encontramos profissionais atuantes em áreas que no tempo dos nossos avós eram repudiadas pela sociedade, onde as mulheres viviam reclusas em suas casas, trabalhando apenas em função do lar, marido e filhos, sem perspectiva de progresso profissional.

    De acordo com a estudiosa Nair Terezinha Gonçalves, o papel da mulher já é, e continuará sendo cada vez mais, lutar pelo seu espaço na família e na sociedade. Lutar pelo seu espaço não significa declarar guerra contra os homens. Ao contrário, significa proporcionar que cada um seja inteiro no espaço que ocupa e, o que é muito importante, passar essa atitude para frente, para as gerações futuras.

    É visto que as mulheres vêm conquistando o seu espaço dia a dia, e o mercado de trabalho tem crescido proporcionalmente. As profissões, tais como: engenharias, medicina, área militar, pilotagem, administração de empresas, entre outras, visivelmente eram exclusividade masculina. Hoje já se podem constatar mulheres ocupando tais cargos e os exercendo com excelência, aumentando a competitividade no mercado.

    Considerando as mudanças do mercado de trabalho, há uma segurança das mulheres hoje, em explorar as suas aptidões, desejos e vontades, podendo escolher o que mais lhe fizer feliz, sem ao menos se preocupar com as questões “será que eu posso trabalhar nisso ou naquele outro?” “só tem homens lá e agora?”. Lembrando que a conquista do seu espaço é você quem faz e o mercado de trabalho tem necessidade de profissionais que, além das titulações, possuam o diferencial da força de vontade e competência. É você quem cria as oportunidades. Ideias criativas são sempre bem vindas e notadas pelos grandes empreendedores, invista no seu potencial e corra atrás daquilo que te fascina. Vale a pena!

    Texto de Cayla Sousa, estudante e estagiária de Psicologia da Unicesumar.